Arquivo para outubro \29\UTC 2008

Aloha, meus amigos!

Aloha.

Essa deve ser a palavra mais conhecida entre os surfistas de todo o mundo. Neguinho vive falando Aloha nas despedidas, como um tchau. “Até amanhã, brother. Aloha!”. Ela faz parte do vocabulário dos surfistas, se você falar Aloha para algum surfista, em quase toda parte do mundo, ele saberá que está se despedindo, como um “até mais” em uma língua mundial do surf. Isso é muito bom, claro. Porém, Aloha não é bem isso, não é uma despedida ou um cumprimento. É importante saber o que essa palavra havaiana carrega em sua essência, em seu sentido, uso e história.

Os nativos antigos que habitavam as ilhas havaianas tinham uma cultura muito rica, deslizar sobre as ondas em um objeto de madeira era uma atividade sagrada, e sua fé e crenças eram muito fortes. Dentro dessa fé, a natureza, o oceano, o universo, a alma e as pessoas eram muito valorizados, pois cada um tinha a sua importância para cada um, ou seja, a harmonia entre todos esses elementos era um estado de espírito que indicava perfeição, sincronia, caminho seguindo corretamente, significava que Deus está feliz. O havaiano antigo se preocupava com todos esses fatores que faziam parte da sua vida e cultura, valorizava-os quando tudo estava indo bem e preocupava-se quando algo estava “estranho”, buscando uma explicação e um entendimento para aquilo. O amor sempre era a ferramenta mais eficaz e importante para compreender a desarmonia dos elementos da natureza (e o homem se inclui aí), e também era a justificativa para as coisas que estavam em harmonia.

Para sentir o amor nos momentos de dificuldade, seja em uma confusão entre tribos, ou no mau tempo durante uma travessia oceânica em suas canoas e catamarans, era necessário ser humilde, ter paciência, entender a unidade entre homem e natureza, ser agradável e praticar a bondade, tudo isso para não perder a cabeça e agredir alguém ou comprometer a solução para o problema. Logo, percebe-se que não era fácil, e muito menos simples, mas sim uma incrível demonstração de fé e perseverança no amor.

Quando tudo isso era atingido, quando o dia estava lindo, quando o amor reinava e todas as coisas funcionavam bem, o havaiano antigo desejava que esse sentimento, esse estado de espírito, se manifestasse a todas as pessoas em sua volta. Esse estado de paz de espírito, que indicava a presença de uma energia superior, pura e harmoniosa (conhecida hoje em todos os lugares como Deus, Alá, Oxalá, Ra, God, Espírito da Terra, Jah, ou seja lá qual for o nome que dêem), onde o amor era sentido por todos, era definido como Aloha.

Aloha significa a harmonia entre mente, corpo, alma e natureza, e é sentido tanto de dentro para fora quanto de fora para dentro, pois depende do amor entre todas as coisas. Uma tempestade, que destrói tudo por onde passa, também pode ser considerada uma manifestação do espírito de Aloha, pois provavelmente estará colocando algo em seu lugar. Aloha é uma consideração mútua, entre relações e sentimentos de amor, sentida no íntimo de cada um. Os havaianos diziam que a palavra Aloha não pode ser explicada, e sim sentida, e que cada um tem que buscar dentro de si esse sentimento, através do amor e do poder divino. Se um havaiano antigo pronunciasse Aloha a você, ele estaria desejando que você sentisse tudo de bom e divino que existe dentro da sua alma e em toda a natureza, toda a bondade e amor presente em seu interior e no universo, pois todos esses fatores são muito simples, basta silenciar a mente que você os alcança e os propaga. E através dessa harmonia contagiante, tudo se alinhava, todos eram felizes e o amor prevalecia. Era satisfação.

Portanto, quando pronunciar Aloha a alguém, lembre-se do significado e da simplicidade, da humildade em amar e ser amado, e que por muitos anos essa palavra foi utilizada como uma expressão sagrada da manifestação do espírito divino na Terra, nas Ilhas Havaianas. Se utilizarmos Aloha com esse sentido, pode ter certeza que estará propagando o bem. Todas as atividades voluntárias no mundo (principalmente países mais pobres), como a luta contra a Aids, fome, racismo, preservação ambiental… são praticadas por pessoas que têm em sua alma o amor pela natureza e pelo outro, sem ao menos conhecer as pessoas a que estão ajudando. Esse amor é que o mundo precisa, é simples de praticá-lo. Para os havaianos antigos, esse amor e preocupação com a harmonia do todo é Aloha.

Não só deseje Aloha aos seus amigos e companheiros na vida, no surf, e sim pratique Aloha. Faça esse estado de espírito acontecer, busque-o em seu interior e espalhe para o mundo, se cada um fizer sua parte, o mundo se tornará um lugar melhor e pacífico em muito menos tempo. E é para isso que o mundo existe!

Aloha, meus amigos!

Anúncios

A Visão

O surfista, surfista de alma mesmo, é uma pessoa que respeita, em primeiro lugar, a natureza. Preocupa-se com sua comunidade, com sua família, escuta música de qualidade, se alimenta bem, tem saúde boa e, geralmente, possui uma espiritualidade muito forte, mesmo que não saiba disso. Viaja bastante, é bom de geografia e conhece muitos lugares do mundo e suas culturas locais, mesmo sem nunca ter ido a esses locais, e ainda sabe qual a melhor época para surfar nesses lugares.

Sabe o que significa “Aloha”.

Essa é a verdadeira imagem de um Surfista de Alma. Mas, infelizmente, o surfista não é sempre visto dessa maneira. Para a população em geral, surfista é o vagabundo da praia, que não faz nada o dia inteiro além de surfar e fumar maconha, que não estuda, que só ouve musica “barulhenta”, que vive arrumando briga.

E o pior é que é pior ainda… Tem muita gente muito pior do que isso virando surfista, sei lá por que. Talvez para conseguir atenção das mulheres na praia, talvez por ser moda, pela influência da cultura de massa (novelas), ou talvez porque realmente goste, claro.

A visão de criar o WE SURF! partiu de um questionamento: por que o surfista não é visto pelo que ele realmente é? Por que essa essência foi perdida? Por que a cultura surf está sendo deixada de lado? A partir dessas dúvidas é que surgiu um enorme desejo de mudar essa visão que as pessoas de fora têm do surfista e também de conscientizar mais os surfistas, uma vez que a maioria dos grandes canais de divulgação (revistas, portais) da cultura surf são manipulados por poucos e influentes no mercado das grandes marcas de surf, e às vezes deixam de expor bons surfistas profissionais, freesurfers, fotógrafos, videomakers, artistas da cultura de praia, que possuem mais talento do que os que realmente estão ali, nas capas e matérias principais. Não sou contra esses canais, muito pelo contrário, todos que estão ali realmente merecem estar, todos esses profissionais do surf, de alguma forma, merecem estar lá. O que defendo é que muitos, que também merecem e divulgam muito bem a cultura surf, não aparecem, geralmente por questões econômicas, ou até mesmo pessoais.

O WE SURF! tem a intensão de valorizar a cultura surf em sua totalidade, sem preconceitos, localismo ou distinções. O surf é uma grande cultura mundial, que se espalhou muito mais do que qualquer civilização antiga, e o melhor: por puro prazer das pessoas que o praticam.

Por isso deve ser valorizado e respeitado.

Comente aí a sua opinião… a idéia é essa mesmo.

Yes, WE SURF!
Renato Ferrari

keep surfing…

Continuar surfando, aonde quer que seja… essa é a idéia.

Mostrar a todos, surfistas ou não, o verdadeiro significado do Surf, como esporte e filosofia de vida, através de textos, colunas, entrevistas, pesquisas, música e fotografia; propagar o significado da atitude de um Soul Surfer, incentivando a aplicação desse conceito nas situações da vida cotidiana para melhoria da qualidade de vida; e incentivar os surfistas à preservação ambiental por meio de informação e conscientização sobre os efeitos gerados pela destruição da natureza.

Dessa forma, seguiremos nossa missão, levando ao mundo a mais pura essência de tudo o que definimos como Surf, conscientemente e com amor. Respeito, consciência e amor: ingredientes da Paz.

O Surf Consciente também é uma das ferramentas para salvar o mundo do próprio homem, e aproximar o homem e Deus, homem e Natureza, Natureza e Deus, e essência pura.

Keep surfing, continue surfando, aonde quer que esteja…

Renato Ferrari