Arquivo para fevereiro \18\UTC 2009

A volta dos irmãos Cavalera

Para quem não sabe (pois é um fato do ano passado), os irmãos Iggor e Max Cavalera, do Sepultura, estão de volta com a banda Cavalera Conspiracy.

Surf music é algo bem amplo, vai desde bossa nova, passando pelo reggae, dub, folk music, rock’n’roll, punk rock, e por que não o metal? Sempre curti o som do Sepultura, e fiquei extremamente chateado com a saída do Max da banda, na década passada. A voz dele era uma das principais características do Sepultura, aquele grito áspero, porém compreensível, que dá para entender a letra.

Enfim, entre muitos “vai-e-vens”, os irmãos estão de volta.

E um dia desses, estava eu trabalhando em casa na madruga, e resolvo ligar a TV. Era umas 4h00 e começa a passar um show do Cavalera Conspiracy, e em um clássico do Sepultura, “Troops of Doom”, o filho do Max (Iggor Jr.) entra para tocar bateria. Não botei uma fé que ele tocaria bem, mas, o muleque mandou muito bem.

Vejam abaixo:

O que acharam?

Cavalera Conspiracy é para ouvir quando estiver indo surfar em um dia que o mar esteja grande, bem grande. Aí você vai ver o nível das suas batidas e drops atrasados…

http://www.cavaleraconspiracy.com/

Aloha!

Anúncios

Andy & Slater: rivalidade?

Slater e Andy Irons. Esses dois nomes sempre é um sinal de rivalidade para qualquer um que acompanhe os campeonatos disputados por eles.

Na minha opinião, se essa rivalidade existe ou existiu, provavelmente foi plantada pelos patrocinadores, que são grandes rivais na indústria.

Enfim, agora em março será lançado um filme com Slater e Andy juntos em uma trip à Indonésia. Não sei se é mais uma jogada dos patrocinadores, porém, nos últimos anos, em alguns sites gringos, eu cheguei a ver diversas fotos dos dois juntos, em momentos de descontração total, e até surfando juntos.

Acho que o filme será interessante. Afinal, surf é união, amizade.

A Fly in the Champagne será lançado no dia 15 de março nos EUA. Assistam o trailer:

Vamos esperar para ver quando sai no Brasil…

Aloha!

ps.: dá para assistir o trailer em melhor qualidade no blog do MaiNe!

Atualizando: no Surfline.com há um trailer com outras imagens muito boas também, vale conferir:

http://www.surfline.com/video/trailers/fly-in-the-champagne-teaser-2_22272

Surfwear bacana: Cotton Project

Moda sempre tem a ver com surf, ou surf tem a ver com moda, sei lá…

E infelizmente, hoje a surfwear está meio “igual”, um inventa uma coisa diferente, daí todas as outras marcas criam algo semelhante, e se você compra algo para se sentir diferenciado, se dá mal, pois daqui alguns dias você vê alguém com um pano igual ao seu.

Quando conseguimos algum produto diferenciado, na maioria das vezes (ou sempre), ele é bem mais caro do que as marcas regulares de surfwear, que já são bem caras! Pelo menos eu não pago R$ 60/70 em uma camiseta de alguma marca de surfwear, só porque tem a marca X, sendo que se eu lavar umas três vezes a camiseta está toda tora, com a gola esgarçada (falo isso pois já aconteceu, e com grandes marcas…). Prefiro pagar um pouco mais caro por uma peça que pareça nova até a 10ª lavagem do que pagar metade do preço por uma que na 4ª lavagem já está meio “tosca”. Fora o design, o tecido melhor, a estampa mais cool, o corte que veste 100%.

Lá no V Santos Surf Festival conheci uma marca que parece ser bem legal. Chama-se Cotton Project. Tem um conceito muito bacana e um design e corte bem legais. Agora quanto à qualidade, vou testar e falo para vocês, pois ainda não consegui nada da marca (estou numa correria na minha vida que no horário comercial não consigo nem almoçar direito, vida de paulista é f*%$). Mas quando vi as peças e algumas fotos, chamou-me muito a atenção as cores, estampas e design, principalmente de uma bermuda (já encomendei uma) com umas listras largas e coloridas, meio retro, que não sei porquê, mas me remete a um estilo de surf mais clássico, meio Donavon, sei lá…

 Bermuda Cotton Project

E acho que isso que é o legal, é você comprar uma roupa porque ela tem a ver com você, ou que passe algum ideal que você segue. Pelo menos para mim.

A Cotton Project tem um conceito bem legal, dêem uma olhada abaixo (texto do Rafael, da Cotton Project):

“…Trata-se de uma resposta aos padrões atuais do mercado de surfware brasileiro, altamente concorrido mas ao mesmo tempo monótono e sem uma diferenciação significativa. A marca acredita na alto nível intelectual do surfista brasileiro e na existência de sub-culturas do esporte. Dessa forma, compromete-se a oferecer a seus clientes produtos inovadores, com base no design e alta influência da cultura mundial, fruto de intensa pesquisa juntamente com seus atletas, colaboradores e clientes. Vista de forma natural tanto nas prateleiras de boutiques ou surf/skateshop, a marca volta-se ao consumidor que não se contenta com produtos de apelo em massa, independentemente se o mesmo pratica um esporte de ação ou simplesmente simpatiza com os valores e o estilo de vida envolvidos nesses esportes.

A estrutura horizontal da Cotton Project possibilita uma maior interação entre o cliente e o criador do produto, fronteira no qual é muitas vezes confundida ou inexistente. Isso não só se reflete em produtos alinhados com a preferência do seu público mas também numa maior fonte de inspiração para inovação. A estrutura da marca também facilita a criação de um networking de profissionais talentosos, transcendendo assim o conceito de uma marca de vestuário para a criação de uma plataforma de interação multilateral, formando assim, uma comunidade criativa.

Independente

Nós da Cotton Project temos orgulho em ser uma marca de surfwear independente. O que isso significa? Significa total liberdade de criação e interação com nossos clientes. Por não estarmos presos a nenhum conceito desse mercado, podemos usufruir de uma infinidade de caminhos a seguir sem nos preocuparmos com o que é certo ou errado para uma marca de surfwear. Criamos, assim, muito mais do que uma simples relação de compra e venda com nossos clientes, formamos uma comunidade que agrega indivíduos critativos, de alto interesse cultural e comprometidos em retirar dos esportes que praticam muito mais do que o óbvio. Nós acreditamos na nossa marca independente.”

 Está aí a dica e também algumas imagens, dêem um check:

Cotton Project

 

Cotton Project

Cotton Project

 

Tá aí a dica… E para saber mais:

http://www.cottonproject.com.br/

http://www.flickr.com/photos/24235291@N07/sets/

Aloha!

V Santos Surf Festival 2009: algumas fotos

Caros leitores, como alguns sabem, consegui acompanhar o evento no domingo, onde pude encontrar alguns amigos, como o Mauricio Belchior e Felipe (Siebert Surfboards), e conhecer o novo parque no Quebra-Mar, além da exposição de pranchas e surfart, premiação dos campeonatos, tentativa de quebra de recorde… e por aí vai.

Foi uma iniciativa muito boa dos responsáveis por este marco: Pardhal, Jair, Picuruta, Homero, prefeitura e governo, entre outros que colaboraram e que não tenho os nomes, desde o cara que apertou os parafusos do novo deck ao cara que pintou a kombi, todos tem seu sentimento alí, e afirmo que ficou maravilhoso!

Vejam algumas fotos do evento:

Aloha!

(ps.: desculpem a demora na postagem, estive numa baita correria nestas duas últimas semanas, fora os problemas no meu computador… agora está tudo normalizado, 100% na ativa)