Arquivo para julho \22\UTC 2010

Jack Johnson + Emmett Malloy = surf(video)music

Tá aí, este é o resultado da equação. ou melhor, este aqui é o resultado:

Boas imagens, boa edição, boa música. E dá sequência ao último post, com algumas filmagens subaquáticas bem legais.

Aloha!

Anúncios

Embaixo da água

Sempre tive curiosidade de saber como é a vista após um belo caldo no surf, mas o meu instinto animal sempre deixou meus olhos fechados. E ainda bem, este instinto também sempre me guiou até a superfície, mesmo em caldos em que rolei diversas vezes, sempre no final eu encontrava a superfície (ou o fundo da arrebentação, que consequentemente me fazia encontrar a superfície…).

Mas agora esta curiosidade foi resolvida, com grande estilo, pelo fotógrafo Mark Tripple através do projeto “The Underwater Project“. O cara tirou diversas fotos subaquáticas para compor toda uma “coleção” de fotos, que agora estão à venda no site do projeto.

São imagens sensacionais, que valem a pena olhar. Por mais que sejam imagens estáticas, ao olhá-las vejo muito movimento, muita interação, muita vida…

Vale a pena:

Para saber mais ou comprar algumas imagens: http://www.theunderwaterproject.com/.

Aloha!

Obrigado, oceano

E mais uma sexta-feira, dia 09 de julho, aniversário de São Paulo. Nada melhor do que sair desta cidade para comemorar!

4h00 da manhã toca o despertador. 5h00 já estou na Imigrantes com meu amigo Raul, companheiro de trabalho e do surf.

Previsão de meio metrinho só, meio de sul, de sudeste. 6h30 atravessamos a balsa e às 7h15 já estamos dentro do john, água bem fria, mas azulzinha… Dito e feito: meio metrinho às 7h30, e ainda sem crowd nenhum. Surfamos até umas 9h00 sem ninguém na água aquele meio metrinho, bem formado, bem divertido, bem soul surf.

Saí um pouco da água, meia horinha, e depois uma nova queda, já crowdeado, fazendo valer a regra “feriado é igual a crowd”.

Acordar muito cedo, atravessar uma trilha de 20 minutos, enfrentar algumas outras dificuldades… e surfar sozinho num feriado? Vale cada minuto, cada centavo. E voltamos no mesmo dia, no meio da tarde para fugir do transtorno do crowd…

E quem quiser passar uns dias lá, ou encontrar um lugar para tomar um banho, bater um papo com gente de lá, fica aí a dica: Camping Cantão. É só falar com o Seu Álvaro ou com o Walmir. Tudo gente boa.

Recordação deste simples dia da minha vida, e que virou até papel de parede no meu note:

Obrigado, oceano. Por mais este dia, por mais esta chance, por mais vida na minha vida. Isso é o surf para mim.

Aloha.

John Butler Trio: vídeo do Festivalma 2010

Para quem está acompanhando o portal da Alma Surf, o Almasurf.com, já deve ter visto o vídeo do John Butler Trio tocando no Festivalma.

Quem não viu, checa lá que vale a pena: http://www.almasurf.com.br/noticias.php?id=339&canal=45

E já que eles gostaram do Brasil, poderiam voltar todo ano, ein… Show bom que não dá para perder.

No Almasurf.com saíram boas fotos também: http://www.almasurf.com/noticias.php?id=338&canal=6

Aloha!

John Butler Trio no Festivalma 2010

E mais um Festivalma se acaba… agora só no ano que vem. Não consegui ir no último dia de Festivalma, mas achedito que os dois anteriores já tenham valido, e muito.

Na sexta-feira, John Butler Trio tocou, e foi simplesmente animal. Na minha opinião, arrisco dizer que o show foi mais impressionante do que o do The Beautiful Girls, do ano passado. O John Butler tocou muito. Para quem toca violão, vale dar uma conferida nos vídeos dos caras no Youtube. Sensacional.

E o melhor: é ótimo estar em um lugar onde pessoas conhecem a banda, as músicas, cantam juntas, empolgadas, felizes por ouvir uma banda muito boa, que posso afirmar que boa parte das “pessoas normais”, que não vivem neste universo, possam se quer imaginar que esta banda exista. Isso é o tal espírito do surf, que une pessoas que não se conhecem, mas que curtem a mesma coisa.

Neste Festivalma pude encontrar velhos amigos, e colegas deste mesmo universo, como o Felipe. Bati um papo rápido com o Jon Swift (da Melali Band), que estava passeando pela Bienal, falando sobre suas músicas, que foram trilhas de divesos filmes de surf mais recentes… Pude conhecer também novos amantes do surf, como o Daniel Aranha, que está fazendo um trabalho animal na parte de insumos ecologicamente corretos para fabricação de pranchas (blocos, resinas, quilhas…), que renderão bons posts durante este mês…

Para quem perdeu e quiser saber como foi, talvez algumas fotos possam ajudar, mas nada como estar lá:

Agora vamos esperar mais um ano para ver o que teremos, já que infelizmente não temos no Brasil grandes eventos, encontros, em que é possível reunir a cultura surf de uma forma agradável, com pessoas agradáveis, grandes nomes deste mundo, e o mais importante, as pessoas que tornam o surf melhor, os praticantes e fabricantes desta cultura.

Aloha!

Primeiro dia de Festivalma

Caros leitores, acabo de voltar para casa após o primeiro dia de Festivalma. Na verdade, provavelmente ainda está rolando! Falcão e os Loucomotivos devem estar no palco agora, ou então acabaram de acabar o show. Como amanhã levanto cedão, não deu para segurar e abri mão, com muito esforço, do último show…

Consegui ver o show completo da Melali Band, com Rob Machado, Todd Hannigan, Jon Swift, entre outros… Posso afirmar que a qualidade da música é muito boa, o Todd e o Jon tocam muitíssimo bem, sem palavras. O Rob traz o felling do surf para a música, além do estilão que agora é referência no mundo surf. E eu acho isso bom, melhor o freesurf do que o estereótipo de bonzão, que surfa ondas grandes, que ganha campeonatos, que pega todas as minas por aí. Gostei do som.

A exposição está muito bacana, se você surfa, vai gostar. Se não surfa, é uma boa oportunidade para conhecer este mundo e quem sabe até começar a fazer parte. Porque não tem hora, nem sexo e nem idade para isso, veja só a prova:

A mãe, que estava sentada logo atrás, estava toda orgulhosa de ver a filhinha dançando na beira do palco ao som de Rob Machado e sua banda. Senti um pouco de inveja, mas tomei como referência para lembrar disso quando meus filhos nascerem… E tinha um monte de moleque, a criançada fazia a farra no festival, pedindo adesivo, tirando foto com alguns ícones do surf, como o grande Taiu Bueno.

E veja só que bacana o “carimbo” registrado do Rob – sua cabeleira:

Algumas fotos das exposições e do show:

Fora a energia, encontrei grandes amigos, colegas de trabalhos antigos, gente que eu não via faz tempo! Grande abraço para o Daniel, surfista de peito, agora com um long também.

Surf é e sempre será alegria!

Aloha, e até amanhã para quem for…