Posts Tagged 'alma'

A alma pede surf…

E como disso no post anterior, 2012 é o ano do surf.

Tivemos a sorte de um bom swell de sul encostar bem nesse último final de semana aqui no litoral paulista, que rendeu boas ondas. E eu tive a sorte de poder surfar no sábado quase dois metros (medindo a onda onde se surfa: na frente…), e também no domingo, que variou de um a um metro e meio. Isso foi coisa rara, um swellzão bom, alinhado, com tamanho, de sul, e no verão…

Desci na companhia de bons amigos (não todos eles, pois alguns não puderam), e surfamos boas ondas.

Mas desta vez, por mais que tivéssemos condições muito boas de surf e alguns tenham evoluído o surf, cada um do seu jeito e com seus “objetivos”, não venho escrever sobre as ondas. Novamente, venho agradecer ao que o surf me proporciona, e o poder que ele tem de transformar sentimentos, de trocar conhecimentos, histórias, segredos. De compartilhar.

Todo mundo tem problemas, tem alegrias e tristezas, mas também tem pontos de vista diferentes, formas diferentes de lidar com problemas, soluções diferentes. E quem surfa sabe do que estou falando: quando estamos no outside, esperando a série, ou quando estamos saindo da água, caminhando até o carro, ou esperando para a próxima queda, sempre estamos trocando idéia com alguém. Compartilhando situações complicadas para nós, muito pessoais e íntimas, que às vezes não vemos solução, ou que estão nos desanimando. E aí o seu brother (porque nessa hora, é irmão mesmo) fala de uma experiência dele, de um problema igual ou muito próximo, e o que ele fez para sair, para resolver. É nessa hora, que você está num tubo escuro quase fechando, que de repente a onda se abre e você vê novamente a luz, a saída.

Na minha vida, pelo menos, posso dizer que tenho poucas oportunidades tão boas de se desprender da vida material, dos preconceitos que a sociedade cria, e compartilhar a vida em busca de soluções, em busca de evoluir como ser humano para enfrentar e resolver os meus problemas.

Por isso eu digo: surf não é um esporte. Surf é pura vida, é evolução pessoal e espiritual, é satisfação, é terapia, é alegria, é troca de experiências, é diversão, é amor.

Além de tudo isso, ainda há o indescritível prazer, a inatingível sensação, de deslizar sobre a água, de correr uma parede lisinha, como se estivesse flutuando na água, subindo e descendo…

Isso, meus caros, só conhece quem surfa de alma.

É por todos esses motivos que nunca vou parar de surfar. Porque minha alma pede surf.

Aloha!

Anúncios

2010 já era, e 2011 promete…

É isso mesmo, 2010 já era. Pelo menos para mim, que não surfarei mais neste ano, já posso dizer que para o surf este ano já era. E alguns dias atrás, consegui me despedir do mar com boas ondas aqui no litoral de SP, com bons amigos, boas reflexões, e bons pedidos para 2011.

E 2010 já era também para Andy Irons… Agora está em outra praia, outra onda, que acredito ser muito mais bela e bonita do que a deste planeta. Que ele esteja sempre em paz.

Já era também para o décimo título de Kelly Slater. Já era não, já é. Ninguém tira mais.

Derramamento de petróleo no golfo do México, japoneses e noruegueses mandando ver na caça de baleias nos mares do pólo sul, mais de 2.140 km² desmatados na floresta amazônica (dados DETER), terremotos e tsunamis em vários lugares (estão dizendo que Mentawaii não será mais a mesma), e mais um monte de coisas boas também.

Coisas acontecendo, boas ou ruins. Ajudando ou piorando.

E esta foto, para mim, representa o Reveillon. Uma onda na beira da areia vem e apaga todas as pegadas deixadas ali, e lembramos que um dia passamos por ali, mas não lembramos quantas pegadas deixamos, o formato delas, se eram fundas… O Reveillon vem e apaga tudo o que aconteceu no ano passado, e o que fica registrado? Apenas uma lembrança superficial dos fatos, dos acontecimentos, dos desastres e das coisas boas.

Mas o mundo não se esquece. De nada. Nem o mundo e nem seu “dono” (seja lá o nome da divindade que sua religião dê, é exatamente a mesma coisa. Para o mundo inteiro). E nem a sua alma… Registra tudo e você levará somente isso desta vida.

E como surfista de alma que sou, posso dizer que sou privilegiado por ter inúmeros momentos em contato íntimo com o planeta, com o oceano, com as ondas. Terei muito para contar quando deixar esta vida, as outras vidas, e as outras…

Neste ano que virá, vamos, nós surfistas, tentar refletir este lifestyle em tudo que nos cerca, em toda nossa vida. Como a onda que vem e apaga as pegadas, vamos vir e compartilhar esta essência que nos guia, e que direciona o restante de nossas vidas. No profissional, no pessoal, no espiritual.

De um em um, essa essência pode contaminar o mundo. De pegada em pegada, fazemos uma longa caminhada, que a onda da beira da praia não apagará.

A liberdade é nossa, temos que aproveitá-la para melhoramos, e para melhorar o mundo. Essa música fala um pouco disso:

ps.: ao vivo no Festivalma – http://www.youtube.com/watch?v=4CBwijkh-oQ

A todos os leitores: meu mais sincero Aloha.

Muita vida em 2011.

Festiv’Alma 2009 – Porque surf é amor, é cultura

Galera,

esse ano também vai ter o tradicional Festiv’alma, o festival de surf organizado pela revista Alma Surf! Vários shows muito bons, além das exposições e filmes fantásticos.

Festiv'alma 2009!!!

Quem quer conhecer um pouco da cultura surf, vale ir. Quem já conhece e quer ampliar o assunto nas rodinhas, vale ir também.

Cultura a mais sempre é válida, ainda mais quando o assunto é surf.

…keep surfing! Em breve mais informações aqui no WE SURF!

Aloha.

V Santos Surf Festival 2009: algumas fotos

Caros leitores, como alguns sabem, consegui acompanhar o evento no domingo, onde pude encontrar alguns amigos, como o Mauricio Belchior e Felipe (Siebert Surfboards), e conhecer o novo parque no Quebra-Mar, além da exposição de pranchas e surfart, premiação dos campeonatos, tentativa de quebra de recorde… e por aí vai.

Foi uma iniciativa muito boa dos responsáveis por este marco: Pardhal, Jair, Picuruta, Homero, prefeitura e governo, entre outros que colaboraram e que não tenho os nomes, desde o cara que apertou os parafusos do novo deck ao cara que pintou a kombi, todos tem seu sentimento alí, e afirmo que ficou maravilhoso!

Vejam algumas fotos do evento:

Aloha!

(ps.: desculpem a demora na postagem, estive numa baita correria nestas duas últimas semanas, fora os problemas no meu computador… agora está tudo normalizado, 100% na ativa)

Mormaii Neocycle: sustentabilidade

Aqui no Brasil, infelizmente, não há muitas indústrias da surfwear que se preocupam com o meio ambiente e sustentabilidade, apenas algumas poucas e boas. O que vejo é uma ou outra OGN fazendo alguma ação aqui ou alí, sempre localmente, até por falta de apoio e verba, o que é compreensível no mundo em que vivemos.

Há algum tempo a Billabong e Element, ambas do grupo GSM, começaram a desenvolver uma pequena parte de seus produtos a partir de matéria-prima sustentável, como algodão orgânico (camisetas Element), que não utiliza insumos químicos na produção, e uma bermuda feita de PET reciclado (Billabong). Porém, foram desenvolvidos no exterior e não houve nenhuma ação aqui no Brasil para divulgar isso, apenas um ou outro anúncio.

Eu particularmente acredito que as marcas mais próximas do surf (as que fabricam muito mais produtos voltado para a prática do surf do que para a moda) deveriam aumentar o uso de materiais reciclados, além de divulgar e realizar ações que incentivem a sustentabilidade. Afinal, o surf está 100% ligado à natureza, dependemos disso para nossos momentos de alegria, de felicidade, de satisfação e evolução espiritual (para mim, isso é o surf), e nada melhor e mais justo do que fazer algo para ajudar a salvar a degradação ambiental.

A Siebert Surfboards faz pranchas de madeira, que apesar de serem literalmente de “árvores”, é um material biodegradável que reduz absurdamente o impacto ambiental causado por uma prancha comum (madeira é 100% boidegradável), além de ser muito mais durável. Uma sacada animaldo Felipe (shaper). É apenas uma das milhares de fábricas de pranchas, mas já é um movimento (valeu Felipe!).

Recentemente descobri também, em alguns anúncios e comentários no WE SURF!, uma iniciativa muito boa para o segmento de surf, feita pela Mormaii, que é 100% brasileira e conhecida no mundo todo… Os caras estão a mais de 30 anos no mercado fabricando roupas de neoprene, não só para o surf mas para tudo que é esporte na água, e agora inovaram ao começar a fabricação de chinelos e sandálias de neoprene reciclado, a Mormaii Neocycle. As sandálias são fabricadas a partir do neoprene velho, aquele que iria para o lixo comum e que já surfou uma penca de lugares, além de retalhos que seriam descartados. Para quem não sabe, neoprene vem do petróleo, ou seja, polui, e muito, e reciclar derivados de petróleo sempre é a melhor opção do que descartar.

Vejam o comercial das sandálias:

Além de fabricar e comercializar, a Mormaii também está incentivando a reciclagem em uma ação bem bacana: se você comprar uma roupa de neoprene nova nas lojas da Mormaii e deixar o seu antigo john para reciclar, ganha um kit Mormaii Neocycle com camiseta, toalha, saco ecológico, chaveiro e chinelo da marca. Ou seja, os caras estão investindo para produzir cada vez mais produtos reciclados. Isso movimenta o mercado para que outras empresas do segmento sigam o exemplo.

Mormaii NeocycleE tem mais, no meio deste mês entrou no ar uma promoção para divulgar as sandálias: três surfistas vão surfar de sandálias Neocycle e os vídeos desta parada serão colocados no site do produto. O surfista que receber mais votos e a pessoa que direcionou mais votos para este surfista ganham uma viagem para o Peru, além de vários produtos da Mormaii. Quem quiser participar, é só entrar no site da Mormaii Neocycle. Eu já estou por lá…

Vale conferir:

Esse tipo de ação promocional é histórica, eu particularmente não lembro de uma marca 100% brasileira (até as gringas mesmo) que tenha feito uma ação deste porte, com um prêmio bom, e que ainda estivesse ligada à preservação ambiental e à sustentabilidade (que por conceito é bem mais do que preservar a natureza).

Fica aí a dica. Vamos tentar um mundo mais limpo, e consumir produtos mais limpos quando houver a opção.

Aloha, soul surfers!

A Visão

O surfista, surfista de alma mesmo, é uma pessoa que respeita, em primeiro lugar, a natureza. Preocupa-se com sua comunidade, com sua família, escuta música de qualidade, se alimenta bem, tem saúde boa e, geralmente, possui uma espiritualidade muito forte, mesmo que não saiba disso. Viaja bastante, é bom de geografia e conhece muitos lugares do mundo e suas culturas locais, mesmo sem nunca ter ido a esses locais, e ainda sabe qual a melhor época para surfar nesses lugares.

Sabe o que significa “Aloha”.

Essa é a verdadeira imagem de um Surfista de Alma. Mas, infelizmente, o surfista não é sempre visto dessa maneira. Para a população em geral, surfista é o vagabundo da praia, que não faz nada o dia inteiro além de surfar e fumar maconha, que não estuda, que só ouve musica “barulhenta”, que vive arrumando briga.

E o pior é que é pior ainda… Tem muita gente muito pior do que isso virando surfista, sei lá por que. Talvez para conseguir atenção das mulheres na praia, talvez por ser moda, pela influência da cultura de massa (novelas), ou talvez porque realmente goste, claro.

A visão de criar o WE SURF! partiu de um questionamento: por que o surfista não é visto pelo que ele realmente é? Por que essa essência foi perdida? Por que a cultura surf está sendo deixada de lado? A partir dessas dúvidas é que surgiu um enorme desejo de mudar essa visão que as pessoas de fora têm do surfista e também de conscientizar mais os surfistas, uma vez que a maioria dos grandes canais de divulgação (revistas, portais) da cultura surf são manipulados por poucos e influentes no mercado das grandes marcas de surf, e às vezes deixam de expor bons surfistas profissionais, freesurfers, fotógrafos, videomakers, artistas da cultura de praia, que possuem mais talento do que os que realmente estão ali, nas capas e matérias principais. Não sou contra esses canais, muito pelo contrário, todos que estão ali realmente merecem estar, todos esses profissionais do surf, de alguma forma, merecem estar lá. O que defendo é que muitos, que também merecem e divulgam muito bem a cultura surf, não aparecem, geralmente por questões econômicas, ou até mesmo pessoais.

O WE SURF! tem a intensão de valorizar a cultura surf em sua totalidade, sem preconceitos, localismo ou distinções. O surf é uma grande cultura mundial, que se espalhou muito mais do que qualquer civilização antiga, e o melhor: por puro prazer das pessoas que o praticam.

Por isso deve ser valorizado e respeitado.

Comente aí a sua opinião… a idéia é essa mesmo.

Yes, WE SURF!
Renato Ferrari

keep surfing…

Continuar surfando, aonde quer que seja… essa é a idéia.

Mostrar a todos, surfistas ou não, o verdadeiro significado do Surf, como esporte e filosofia de vida, através de textos, colunas, entrevistas, pesquisas, música e fotografia; propagar o significado da atitude de um Soul Surfer, incentivando a aplicação desse conceito nas situações da vida cotidiana para melhoria da qualidade de vida; e incentivar os surfistas à preservação ambiental por meio de informação e conscientização sobre os efeitos gerados pela destruição da natureza.

Dessa forma, seguiremos nossa missão, levando ao mundo a mais pura essência de tudo o que definimos como Surf, conscientemente e com amor. Respeito, consciência e amor: ingredientes da Paz.

O Surf Consciente também é uma das ferramentas para salvar o mundo do próprio homem, e aproximar o homem e Deus, homem e Natureza, Natureza e Deus, e essência pura.

Keep surfing, continue surfando, aonde quer que esteja…

Renato Ferrari