Posts Tagged 'baleia'

Mais um ano…

Mais um ano passando, como um swell. Posso dizer que foi um bom swell. Nunca estive com tanto trabalho, e posso afirmar que nunca surfei tanto. Não digo em frequência de surf, mas em qualidade. Embora minha vida estivesse uma ressaca de trabalho, consegui dar umas fugidas para uns bate-voltas clássicos.

Eu posso afirmar que agora conseguimos formar uma galera boa para os bate-voltas, todos conseguem de uma forma ou outra fugir desta cidade, enfrentando as “dificuldades” que a vida coloca (trabalho, compromissos familiares, “afazeres do lar”, e por aí vai…) e conciliando nossos sagrados tempos para um bate-volta.

Tivemos quedas fantásticas em uns picos conhecidos, outros nem tanto, mas o surf foi garantido, e só temos a agradecer. Claro, devo desculpas pela ausência por aqui, mas com certeza eu não abandonei o surf, só não apareci por uns meses.

Fotos do surf? Quase não tem, ninguém quer perder tempo batendo foto, sempre levamos uma câmera boa, mas neguinho só quer ficar dentro da água… Então tem alguns registros genéricos dos bate-voltas, e vale a pena olhar, pois sempre trazem boas recordações. Só quem surfa sabe, e só quem faz a barca sabe ainda mais:

Image

ImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImage

Quase todas as fotos do Raul, só as cinco últimas são minhas. 99% tiradas do celular, algumas tratadas com estes filtros que estão na moda…

TODAS retratam a essência do surf para nós.

Que 2012 seja preenchido com essa essência, e o resto é consequência.

Aloha!

Anúncios

A bênção do bate-volta

Não sobra tempo, mas dá tempo. Sempre é possível arrumar um tempo para surfar.

Tenho andado tão corrido com o trabalho e com outras coisas da vida que não me sobrou muito tempo para escrever por aqui, por isso o grande tempo parado. E o pior não é a falta de tempo, mas de inspiração e vontade mesmo. Em meio às preocupações da vida, a gente acaba esquecendo que a vida é para viver, e aos poucos perde o contato com o que nos faz feliz.

(Re)abri o olho para isso há um mês, quando em vários “setores” da minha vida começaram a surgir mais preocupações do que satisfações. E quando a gente se afasta do que nos traz felicidade, do que realmente somos e gostamos, começamos a deixar de ser nós mesmos, e é essa perda de identidade que choca todos a nossa volta, que começam a conhecer um novo eu, diferente, mais estressado, esquecido, distraído, nervoso. Aí tentamos fazer de tudo para deixar estas pessoas felizes, para elas se esquecerem desse cara chato. Esse é o erro: tentar corrigir a nossa distorcida imagem, e aí fazemos só o outro feliz, mas nossos problemas e preocupações continuam…

O certo, do meu ponto de vista, e que deu certo até agora, é voltar a ser quem eu era, voltar a fazer as coisas que me fazem feliz. É retomar a nossa identidade, a nossa origem. E eu acredito que a vida seja isso, uma retomada à nossa origem. Muitos enxergam a evolução e grandeza como objetivo (tecnologia, bens, poder, acúmulo de riqueza…). Eu prefiro enxergar isso como uma ferramenta para retornarmos à nossa origem, à simplicidade, ao minimalismo, pois quando eu partir desta terra, sei que são outras coisas que eu levarei comigo. Isso é evolução.

Pensei nisso nos últimos bate-volta’s que fiz. Essa é a bênção do bate-volta. É como uma meditação: uma pausa na vida material para simplesmente desfrutar do mundo, da natureza, do minimalismo. Cada um encontra a sua forma de ter um contato com a pureza desse mundo, da nossa alma e espírito. A minha forma se chama Surf, com muito orgulho, fé, e amor.

Essa é a grande meditação da minha vida.

Um registro do penúltimo bate-volta:

E graças a Deus, aparecem na minha vida pessoas que acredito pensar ou da mesma forma ou muito próximo, como o Japa, Alemão, Raul, Rodrigo, Evandro, entre muitos outros.

Agora vou dormir, pois amanhã tem bate-volta.

Aloha!

2009 vai ser “clássico”

O primeiro pôr do sol de 2009

Galera, antes de tudo, um ótimo 2009 para todos! Agradeço por estarem aqui, acompanhando as postagens e contribuíndo nos comentários!

Se minhas palavras lhe serviram para despertar algum sentimento, eu agradeço novamente. O surf é isso, uma constante evolução, e totalmente dependente da vontade da nossa mãe natureza. Ela é quem dita as condições, e nós é que aproveitamos disso, não só pela parte prática de surfar, mas principalmente pela bagagem que temos dentro de nós: nossos sentimentos, conhecimentos e sensações, que são todas despertadas no simples ato de surfar…

Que em 2009 esses momentos se repitam, e que nós, escritores e leitores de bons blogs (principalmente os leitores), possamos aproveitar de toda essa atmosfera da cultura surf.

Essa foto eu tirei no dia 01/01/2009, o primeiro pôr do sol que presenciei no ano, e no litoral, em Boracéia. Um lindo dia, com uma galerra 100%, no primeiro dia do ano. Boas energias abrindo o ano.

Graças a Deus e a mãe natureza, pude desfrutar de boas ondas na Vermelha do Norte e na Toninhas, em Ubatuba (ainda em 2008, antes da virada), e principalmente em Cambury e Baleia (em um dia pequeno, de long), em São Sebastião. Não peguei nenhum “marzão”, mas peguei boas condições que me renderam bons momentos…

Do dia 28/12 até o dia 03/01, acordava todo dia às 6h00 e entre 6h45 e 7h00 já estava na água, sempre com uma galera alto astral, sem confusões ou discussões. Afinal, quem estava alí nesse horário era para surfar, e não arrumar confusão, disputar onda.

Algo me diz que 2009 vai ser “clássico”.

Grande abraço a todos que acompanham, e “vamo que vamo” de volta nas postagens!

Aloha, amigos.

Renato Ferrari