Posts Tagged 'estilo'

Técnica vs. Estilo

Eu vejo muito isso na música: algumas apresentam muita técnica, outras uma melodia bem criada, umas surpreendem pela letra bem feita, algumas são sem graça e não deveriam nem ser chamadas de músicas. Mas para mim, o que mais faz uma música ser boa ou não é a criatividade e o estilo que ela apresenta. E claro, o gosto pessoal. Eu gosto de música boa, que me diverte e que alimenta minha alma.

Bom, e o que isso tem a ver com surf? Muita coisa. Tem nego dando aéreo feio pra caramba que nem parece surf, tem big rider que precisa de uma técnica afiada para não morrer embaixo da água numa vaca, tem surfistas old school ou da velha guarda apavorando no estilo, tem freesurfers mostrando que surfam porque aquilo faz parte da vida, da alma. Tem de tudo, e claro, reflete o que o cara quer com a coisa, se quer ganhar baterias, se quer ser referência, se quer só se divertir. Eu gosto de surfar para me divertir e alimentar minha alma.

Bom, e o que isso tem a ver com esse vídeo de skate que eu coloquei aí embaixo? Sei lá, pois eu não ando de skate bem, apenas para me divertir muito de vez em quando. Mas o vídeo é legal, pois dá pra ver que o cara se diverte e alimenta a alma dele! E me diverti vendo o vídeo.

O que o cara apresentou mais: técnica ou estilo? Meu voto é para a criatividade. Usou os dois, se divertiu, e acredito que alimentou a alma.

Richie Jackson, abusando na “técnica do estilo”.

Aloha, street surfers.

Festivalma 2009: algumas atrações

Caros leitores, um consolidado das atrações que considero mais importantes no Festivalma 2009:

A Fly In The Champagne: Kelly Slater e Andy Irons surfando juntos, sem a lycra de competição… muito bom:

One Track Mind: mais uma produção fantástica dos irmãos Malloy, show de imagens, como sempre:

The Present: esse é outro classico do Thomas Campbell. Dispensa comentários (só um, vai – olha a primeira onda deste trailer…):

Jake Shimabukuro: como já apontei anteriormente, é um havaiano que destrói, no bom sentido, o ukelele. Assistam mais esse, todo dedilhado:

The Beautiful Girls: esse vale colocar dois clipes, das antigas, o primeiro, pela letra, que é animal (Freedom – vale muito ouvir esta música durante alguns dias antes de dormir e ao acordar), e o segundo, pelo ritmo:

Clark Little: fotógrafo insano que bate umas fotos no inside. Mas é bem no inside mesmo. Beeem mesmo. Dá uma checada:

Foras estes grandes ícones, que agregam muito ao surf nosso de cada dia, vai ter muita coisa boa: Marcelo D2, Tommy Guerrero, Yusuke Hanai, Thomas Campbell (também com as pinturas, além dos filmes), Kelly Slater… E por aí vai.

Nos vemos lá!

http://www.festivalma.com.br

Aloha, porque surf é amor!

Surfwear bacana: Cotton Project

Moda sempre tem a ver com surf, ou surf tem a ver com moda, sei lá…

E infelizmente, hoje a surfwear está meio “igual”, um inventa uma coisa diferente, daí todas as outras marcas criam algo semelhante, e se você compra algo para se sentir diferenciado, se dá mal, pois daqui alguns dias você vê alguém com um pano igual ao seu.

Quando conseguimos algum produto diferenciado, na maioria das vezes (ou sempre), ele é bem mais caro do que as marcas regulares de surfwear, que já são bem caras! Pelo menos eu não pago R$ 60/70 em uma camiseta de alguma marca de surfwear, só porque tem a marca X, sendo que se eu lavar umas três vezes a camiseta está toda tora, com a gola esgarçada (falo isso pois já aconteceu, e com grandes marcas…). Prefiro pagar um pouco mais caro por uma peça que pareça nova até a 10ª lavagem do que pagar metade do preço por uma que na 4ª lavagem já está meio “tosca”. Fora o design, o tecido melhor, a estampa mais cool, o corte que veste 100%.

Lá no V Santos Surf Festival conheci uma marca que parece ser bem legal. Chama-se Cotton Project. Tem um conceito muito bacana e um design e corte bem legais. Agora quanto à qualidade, vou testar e falo para vocês, pois ainda não consegui nada da marca (estou numa correria na minha vida que no horário comercial não consigo nem almoçar direito, vida de paulista é f*%$). Mas quando vi as peças e algumas fotos, chamou-me muito a atenção as cores, estampas e design, principalmente de uma bermuda (já encomendei uma) com umas listras largas e coloridas, meio retro, que não sei porquê, mas me remete a um estilo de surf mais clássico, meio Donavon, sei lá…

 Bermuda Cotton Project

E acho que isso que é o legal, é você comprar uma roupa porque ela tem a ver com você, ou que passe algum ideal que você segue. Pelo menos para mim.

A Cotton Project tem um conceito bem legal, dêem uma olhada abaixo (texto do Rafael, da Cotton Project):

“…Trata-se de uma resposta aos padrões atuais do mercado de surfware brasileiro, altamente concorrido mas ao mesmo tempo monótono e sem uma diferenciação significativa. A marca acredita na alto nível intelectual do surfista brasileiro e na existência de sub-culturas do esporte. Dessa forma, compromete-se a oferecer a seus clientes produtos inovadores, com base no design e alta influência da cultura mundial, fruto de intensa pesquisa juntamente com seus atletas, colaboradores e clientes. Vista de forma natural tanto nas prateleiras de boutiques ou surf/skateshop, a marca volta-se ao consumidor que não se contenta com produtos de apelo em massa, independentemente se o mesmo pratica um esporte de ação ou simplesmente simpatiza com os valores e o estilo de vida envolvidos nesses esportes.

A estrutura horizontal da Cotton Project possibilita uma maior interação entre o cliente e o criador do produto, fronteira no qual é muitas vezes confundida ou inexistente. Isso não só se reflete em produtos alinhados com a preferência do seu público mas também numa maior fonte de inspiração para inovação. A estrutura da marca também facilita a criação de um networking de profissionais talentosos, transcendendo assim o conceito de uma marca de vestuário para a criação de uma plataforma de interação multilateral, formando assim, uma comunidade criativa.

Independente

Nós da Cotton Project temos orgulho em ser uma marca de surfwear independente. O que isso significa? Significa total liberdade de criação e interação com nossos clientes. Por não estarmos presos a nenhum conceito desse mercado, podemos usufruir de uma infinidade de caminhos a seguir sem nos preocuparmos com o que é certo ou errado para uma marca de surfwear. Criamos, assim, muito mais do que uma simples relação de compra e venda com nossos clientes, formamos uma comunidade que agrega indivíduos critativos, de alto interesse cultural e comprometidos em retirar dos esportes que praticam muito mais do que o óbvio. Nós acreditamos na nossa marca independente.”

 Está aí a dica e também algumas imagens, dêem um check:

Cotton Project

 

Cotton Project

Cotton Project

 

Tá aí a dica… E para saber mais:

http://www.cottonproject.com.br/

http://www.flickr.com/photos/24235291@N07/sets/

Aloha!