Posts Tagged 'pete murray'

Pete Murray no Festivalma

Eu conhecia o som do Pete Murray, mas confesso que conhecia muito pouco, umas 6 ou 7 músicas. Porém, ao vivo, tudo que é bom não precisa ser de fato “conhecido” para ser bom. E às vezes é até melhor, pois a surpresa do “que som será que vem em seguida, será que é bom?” é sensacional se o músico é bom.

Pete Murray fez um showzão, animal. Estava lotado, mas não abarrotado, foi mais gostoso ver o show.

Tive a chance de conhecer o cara, o baterista e o guitarrista, logo após o show, e num bate-papo bem rápido, se demonstraram muito felizes com o Brasil, com o público, e ficaram surpresos em como todos conheciam suas músicas e curtiam o som. Chamou até uns e umas para subirem ao palco com ele. Com certeza vou comprar uns CDzinhos deles para agradar meus ouvidos, mente e alma.

Algumas fotos do show, e também da exposição de fotos e artes do Festivalma, que como sempre, estavam sensacionais:

Fora o Festival e músicos sensacionais, tive a honra de bater um papo com o Romeu Andreatta, publisher da Alma Surf e idealizador do Festivalma. Enquanto no backstage todos estavam na euforia de dar atenção ao Pete Murray e banda, eu comecei a puxar assunto com o Romeu sem esperança de que fosse render muita coisa, já que era final de noite, todos cansados, querendo ir embora. Pela minha surpresa, conversamos alguns bons minutos sobre o Festivalma, sobre a correria que ele está neste ano intenso de trabalho (o cara trabalha demais…), sobre família. Faltou falar sobre surf, mas acho que é um assunto que deve ser tão clichê para ele, apesar de amarmos isso, que acho que por isso que o papo rendeu… É uma grande pessoa, um grande surfista. De alma.

Toda a galera da Alma Surf foi extremamente receptiva, estão de parabéns por mais um Festivalma animal. Canso de dizer, mas vale repetir para ver se isso muda no Brasil: temos tão poucos festivais de surf que temos que valorizar os poucos e bons que temos. Aliás, o Festivalma acaba compensando a falta geral…

Parabéns à Alma Surf e a todos que fizeram o festival acontecer.

Agora é hora de descansar, pois amanhã, amanhã sim… o swell vai entrar. Dá uma olhada na previsão para o litoral norte de SP. Bate-volta para fechar a semana com muito surf.

Aloha.

Anúncios

Pete Murray: som para relaxar

Tudo bem, não é novidade para quem já surfa há algum tempo, pois deve ter ouvido em algum filme. Ou então já conhece por indicação de outros surfistas, ou até mesmo por indicação de outros grandes músicos, por ver aqui no mundo cibernético em sites como My Space, Facebook, YouTube…

Mas vale a dica: para um som para relaxar, é Pete Murray. Claro, tem suas músicas animadas, mas prefiro as mais tranquilas. Boas para ouvir num fim de noite, num dia frio, após um fim de semana de surf.

E vale outra dica, igual ou melhor à anterior: confirmado dia 27/05 (atenção, esta é a nova data de seu show!) aqui em Sampa, no Festivalma. São tão raros os eventos descentes de surf aqui no Brasil que é até sacanagem não marcar presença, ainda mais no Festivalma. Sou suspeito para falar, pois sempre encontro alguém que é importante para o surf, e de alguma forma para mim. No ano passado encontrei grandes “conhecidos” (fico com medo de chamá-los de amigos, já que alguns eu encontro somente nestes grandes eventos ou aqui no mundo virtual), como o Felipe Siebert (Siebert Surfboards), o Aranha (e-boards), Bernardo (planejador, surfista e pensador meio xarope), Raul (companheiro nos bate-volta’s nos horários e condições climáticas mais loucas possíveis), entre vários outros…

Voltando ao motivo deste post, encontrei no começo desta semana um bom vídeo do Pete Murray tocando uma música sua com o John Mayer (a quem não gosta: sim, John Mayer é muito bom, quem toca/canta sabe). Acho que uniu muito bem uma boa e suave melodia, uma voz tranquila, uma voz ácida, e uma Fender Stratocaster… confesso, sou adepto das Gibson Les Paul, que para mim tem um som muito superior a uma Fender Stratocaster – é gosto pessoal – mas uma boa guitarra em boas mãos sempre dá um som perfeito. P. Murray acertou na escolha da música e do companheiro de palco. Veja aí que fica mais fácil de entender do que esta zona de palavras minhas…:

Aloha e até o Festivalma, para quem estiver lá.