Posts Tagged 'trilha sonora'

The Drifter – Taylor Steele / Rob Machado

Caros leitores, antes de mais nada, um ótimo 2010 para todos, regado do melhor surf que o mundo pode nos dar! E desculpem-me pela ausência, mas o período de verão é quando tenho o maior volume no meu trabalho, então acaba sobrando pouco tempo para o blog. Mas estou aqui, postando novamente, tentando sempre mostrar algo do surf para quem ama o surf…

A primeira dica do ano é um filme de surf, que dos poucos que assisti neste ano, com certeza foi o melhor: The Drifter.

Filme com o Rob Machado, dirigido por Taylor Steele, quem já fez bons filmes de surf. Minha admiração pelo surf de Rob Machado começou cedo, logo que comecei a surfar. Mas, como a uns 10 anos atrás o acesso a filmes de surf era mais complicado, até pelo fato de eu ser novo e não ter grana por não trabalhar (meus pais não me davam dinheiro para essas coisas…), tinha que me contentar com as poucas cenas dele que saíam em alguma fita (velho, ein) da Fluir, Hardcore. E o que mais me chama atenção em seu surf é que ele não tem uma linha de surf muito quebrada, cheia de aéreos ou rasgadas “quadradas” nas paredes, e isso me agrada. Parece até que não é ele quem lê a onda e a surfa, e sim a onda que vai se desenhando embaixo de sua prancha, se encaixando ao seu surf, seu estado de espírito no momento. É excepcional.

Além do surf, o filme tem uma construção mais artística, mais melódica, contando uma historinha de uma viagem para a Indonésia. É bem divertido, engraçado, sério, possui uma fotografia fantástica e uma trilha que dá vontade de gravar um CD com as músicas na mesma hora.

Vejam o making off, com alguns comentários, que dá para ter uma idéia:

Agora isso não é nada perto do filme inteiro. Assistam que vale cada minuto, do início até subir as letrinhas (ps.: antes do “The Cast” subir, tem uma sequência de fotos muito bacana, asitam até o final que vale a pena).

Aloha a todos! E muito surf neste ano.

Anúncios

Trilha sonora do Cloud 9 – nos dias chuvosos

Para quem vasculha a internet sempre, este trailer não é novidade. Mas para quem não conhece, tá aí a dica:

O que me chamou atenção foi a trilha sonora, com participação do Ben Howard, um muleque novo, que manda bem em um ritmo mais calmo, com o violão deitado… atualmente está abrindo alguns shows do Jason Mraz.

Vale conferir: http://www.myspace.com/benhoward

Para mim, é uma boa trilha para aquele dia de surf chuvoso, na friaca, com o mar meio mexido, cinza, sem (quase) ninguém na água, sem ondas muito boas… E que ainda assim, é um dia de surf, e que para mim, são muito importantes.

Já tive muitas reflexões nestes dias, quando eu era o único doido da galera que saía de casa, mesmo sem ter meu short john ainda (que depois me deu uma ajuda…), naquela chuva meio fina e interminável dos invernos de Itanhaém. Andava cinco quarteirões até a praia e ficava uns 15 minutos pensando se valia a pena ou não varar a arrebentação para pegar aquele mar mexido, frio, chuvoso. É lógico que não valia, se eu avaliasse o quesito “surf”. Mas eu ia, entrava, varava a arrebentação e ficava lá, uma ou duas horas, pegava uma ou duas ondas zuadas, sozinho.

E pensava. Em sentimentos meus, no porquê da vida, na razão de eu estar vivo, alí, surfando. Tentava ligar o quebra-cabeça da vida, os conflitos de meus pais, meus próprios conflitos. Perguntava de onde eu vim, e para onde eu ia após esta vida. E aí eu ia me descobrindo, formando a minha fé, encontrando Deus, dentro e fora de mim.

Depois eu saída da água resmungando porque não peguei ondas boas. E voltava os cinco quarteirões concluindo minhas reflexões, ouvindo as respostas, quem sabe de Deus. Com as mãos meio brancas e roxas, batendo os dentes, tremendo, já sem sentir a sola dos pés…

Graças a Deus eu tive estes grandes dias ruis de surf. Alguns com a presença de meus irmãos Edu e Déia, ou meu primo Adriano, ou o Rodolfo, camarada das antigas.

Mas mesmos ruins, por um lado foram uns dos melhores dias de surf de minha vida, e não pelo surf em si, mas sim por ter sido o surf que me levou a estes dias, a estas reflexões, a estas verdades que carrego hoje.

E estas músicas me remeteram a estes dias, principalmente a Cloud Nine e a London. Valeu Ben Howard pela nostalgia.

Aloha!

Jake Shimabukuro e Kelly Slater no FestivAlma 2009?

FestivAlma 2009

Nota oficial do FestivAlma 2009:

“…Em sua sexta edição, o FestivAlma Surf acontece de 2 a 4 de julho, no pavilhão da Bienal, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. O festival terá este ano atrações imperdíveis como a banda australiana The Beautiful Girls, o californiano Tommy Guerrero, o havaiano Jake Shimabukuro e o rapper Marcelo D2. No dia 2 de julho é esperada uma jam session entre Jake Shimabukuro e Kelly Slater, o mais famoso fã do havaiano…“.

Para quem não conhece, o Jake Shimabukuro é um músico havaiano, que toca diversos instrumentos de corda desde cedo, sendo que a grande pegada é o Ukelele. Há quem fale muito bem do cara: Donavon F., Jack Johnson, Rob Machado, e por aí vai.

Um vídeo dele ficou famoso em 2007, onde ele toca sozinho um som bem conhecido (para quem gosta de música). É um pouco longo para quem está só de passagem, mas mande o link para seu e-mail pessoal e assista com calma quando der, que vale muito a pena:

Agora imagine o Jake mais o Kelly Slater tocando juntos. Não pela parte prática da música, de os dois tocando altos solos no Ukelele, mas pelo momento, pela técnica de um na música e pelo espírito do outro no surf. Momentos raros que valem ser presenciados. Com certeza surf e música é um ótimo casamento, ainda mais quando falamos do ápice nas duas pontas – Ukelele e Surf com quem entende.

Eu vou, com certeza, e depois conto para vocês no que deu. Mas ainda assim defendo: ao vivo é diferente, quem puder, vá também.

Para conhecer mais:

http://www.myspace.com/officialjakeshimabukuro

http://www.jakeshimabukuro.com/

http://www.festivalma.com.br

Aloha, “surfmúsicos”!

The Sandals – The Endless Summer

Essa é clássica das clássicas! Quem assistiu esse filme sabe que, na época de seu lançamento, trouxe uma revolução para o surf e abriu diversas portas para o surf, mudando sua imagem como estilo de vida. E a trilha sonora, nem se fala…

Esse som é bacana (do The Sandals), um instrumental bem suave e “roots”, com aqueles sólos clássicos da época, nas Fenders antigonas e bem agudas:

Este do YouTube! é reduzido, o clip inteiro tem neste outro link (fora que a resolução é bem melhor):

http://www.vimeo.com/1235264

Com direito a comentários da banda no final do vídeo!

Som bem surf, clássico, estiloso, que todo mundo que surfa deveria ouvir, e se não gostar, pelo menos tem que conhecer.

Aloha!